Curiosidades - Carlos Renaux

O estádio Augusto Bauer

Estádio Augusto Bauer

Palco dos jogos do clube até os dias atuais, o estádio Augusto Bauer foi inaugurado em 7 de junho de 1931, em um amistoso do Vovô diante do Clube Náutico Marcílio Dias de Itajaí. A partida acabou em 1 a 0 para a equipe adversária. Porém foi somente nas décadas de 1950 e 60 que foram construídos arquibancadas, aterro, ampliado o campo, e colocado alambrado e sistema de refletores no local. O Vovô foi o primeiro time catarinense a possuir alambrado e iluminação em seu estádio próprio. O clube dedicou-se também a grandes eventos sociais, bailes, teatros, festas juninas, tricolor-minicopa, além de vôlei, basquete, bolão, bocha e atletismo.

Mudança de nome

Em 1944, em virtude da Segunda Guerra Mundial, um decreto de lei federal vedou qualquer clube de ter denominação relacionada a países, estados, municípios e regiões. Muitos clubes do futebol brasileiro foram afetados com essa resolução, incluindo o Palestra Itália, que mudou o seu nome para Palmeiras. Em razão do mesmo motivo, o Brusquense, que possuía nome relacionado a cidade de Brusque, foi obrigado a trocar seu nome. Em 19 de março de 1944 o clube passou a se chamar Clube Atlético Carlos Renaux.

O Clássico

Carlos Renaux e Paysandu por muitos anos proporcionaram um dos maiores clássicos do futebol do estado. O time tricolor tem, em sua maioria, torcedores compostos de descendentes italianos, enquanto o rival tem em sua maioria alemães. Ao longo dos anos, as equipes proporcionaram jogos memoráveis, que dividiram, literalmente, a cidade de Brusque. Embora não se tenha números precisos sobre o clássico, muitos estudos destacam que o Vovô leva superioridade nos confrontos diante do rival. Periódicos dos tempos de glória dos clubes também destacam o Carlos Renaux como o clube preferido do torcedor brusquense.

Licença em 1984 e fusão em 87

Em razão da grande chuva que caiu em Brusque e em todo estado em 1954, uma enchente causou danos imensos ao estádio Augusto Bauer. Em virtude dos prejuízos imensuráveis, o clube foi obrigado a licenciar-se do futebol profissional no mesmo ano.

O Vovô retomou suas atividades em 1985 e 86 apenas nas categorias de base. Em 1987, com uma equipe de pratas da casa, chegou a sagrar-se Campeão da Liga Brusquense de Futebol. No mesmo ano, fundiu-se com o Clube Esportivo Paysandu para dar origem ao Brusque Futebol Clube.

A fusão foi apenas no futebol. Durante os anos que se passaram, assim como o rival, o Vovô manteve CGC, estatutos em vigor, e retirou-se da parte esportiva, emprestando seu estádio para jogos do clube fundado em 1987. O Carlos Renaux sempre existiu durante este período, mantendo seu patrimônio, apenas não tinha representatividade. A fusão durou 10 anos, até que em 1997, após anos de apelo da sua torcida e diretoria, o tricolor, assim como seu rival, Paysandu, conseguiram a dissolução. Em 3 de fevereiro de 1998, em Assembleia Geral, foram empossados novos dirigentes do clube, reconstituindo definitivamente o Clube Atlético Carlos Renaux.